GASTRO INTESTINAL

Classificado em Biologia

Escrito em em português com um tamanho de 11,21 KB.

 

TOXOPLASMOSE

Definição • Doença sistêmica causada por um Protozoário parasita intracelular obrigatório, que invade vários tecidos do Organismo de várias espécies animais, inclusive o homem.

Agente Etiológico • Toxoplasma gondii, protozoário coccídio Intracelular “próprio” dos gatos e pertencente à família Sarcocystidae, classe Sporozoa. • Protozoário intra-celular obrigatório do grupo dos Coccídios • Parasita qualquer célula nucleada de mamíferos • Os felídeos são os hospedeiros Definitivos (HD) e os demais hospedeiros como mamíferos e aves são hospedeiros Intermediários (HI).

Formas Infectantes 1. Taquizoítos – são formas que se Multiplicam rapidamente (forma proliferativa), que se encontram nos órgãos, Linfa, sangue e secreções de animais na fase aguda da doença. 2. Bradizoítos – São formas de lenta multiplicação, encontrados nos cistos teciduais, músculos, Fígado, pulmão e cérebro que causam infecção latente ou crônica (forma Cística). 3. Esporozoítos – são encontrados nos oocistos, que se formam Exclusivamente no intestino do gato e felino silvestres (infectados).

Oocistos (2 Esporocistos com 4 esporozoítos)

Esporozoítos (Oocistos) m de diâmetrom• 10 – 12  • Forma subesférica ou elipsóide • 1- 5 dias pára esporulação no solo • Forma infectante do ciclo

Taquizoítos (pseudocistos e formas livres) m comprimentom• 4-8  m larguram• 2-4  • Forma de divisão rápida • Fase Aguda da infecção.

Bradizoítos (cistos tissulares) m de diâmetrom• 20-200  • Rodeados por envoltórios Císticos • Forma de divisão lenta • Fase crônica da infecção

O parasita invade o Epitélio intestinal e vários tipos celulares, particularmente células Mononucleares  Multiplicação por Reprodução assexuadaØ  Disseminação por via sanguínea ou linfáticaØ  Os taquizoítas invadem os tecidos muscular,Ø Nervoso (cérebro) e vísceras (fase aguda da doença)  Taquizoítos: formato de um arco e medemØ 6,0 x 2,0 μm

Ciclo no Gato Ingestão roedor contaminado Formado no tubo Digestivo oocisto Eliminado fezes no solo Esporulação: produção de esporozoítos Oocisto infectante Interior do oocisto - 2 esporocistos com 4 esporozoítos.

Ingestão oocisto – HOMEM (HI) Oocisto se rompe - Intestino Libera esporozoítos - invadem mucosa. Taquizoíto divide-se várias Vezesassexuada Rompe célula hospedeira Processo se repete várias vezes Liberando grande número de taquizoítos Invasão novas células - sangue e tecidos Parenquimatosos. O sistema imune pode levar à formação de bradizoítos.

Resistência • O oocisto em fezes ou suspensos na água Permanecem infectados por até 400 dias em temperaturas entre 4 a 37º C. • Cistos em carne de porco são mortos em 336 seg. Em 49º C, 44 seg. A 55º C, 6 Seg. A 61º C. Carne cozida em 80º C por alguns minutos não contém o organismo. • Carne mal passada não terá atingido a temperatura ideal pára destruir o Organismo. • Cistos presentes em carnes de carneiró e porco são inativados Congelando a – 9,4º C ou menos. A resistência do T. Gondii aós agentes físicos E ao meio ambiente é pequena. • Não resistem mais que algumas horas à Temperatura de 23 a 25ºC. • Destruído pelo álcool 70% e o fenol 5% em 10 minutos (Veronesi et al., ... Pg 705).

ASPECTOS EPIDEMIOLOGICOS: A toxoplasmose é Uma zoonose muito importante e freqüente em nosso meio. • Pode-se afirmar que Esta zoonose é de distribuição universal, sem preferência de sexo ou raça. • Alguns autores citam que um terçô da população mundial está afetada. • A grande Maioria dos infectados estão de forma crônica e assintomática. • Estudos Sorológicos nos Estados Unidos estimam que 30% dos gatos e 25 a 50% dos seres Humanos encontram-se infectados.

Prevalência da Doença:  Animais → Estudos Epidemiológicos têm revelado umaü alta prevalência da Toxoplasmose em animais de produção. No Brasil, cerca de 20 a 50% dos ovinos São afetados.  Humanos → No Brasil Estima-se que 70% daü população adulta é Reativa aós antígenos toxoplásmicos.

Hospedeiro definitivo: classe felidae (gatos, tigres, etc.) • Hospedeiro intermediário: carnívoros, herbívoros, roedores, porco, primatas, Humanos e outros mamíferos. • Hospedeiro de transporte: insetos e minhocas. • Reservatórios: gatos, aves, caprinos, ovinos, bovinos, cães, roedores e o Homem.

Vigilância epidemiológica • A doença não é Objeto de ações de vigilância epidemiológica, entretanto tem hoje grande Importância pára a saúde pública devido a sua associação com a AIDS e pela Gravidade dos casos congênitos. Notificação • Não é doença de notificação Compulsória.

Formas de Transmissão 1 - a ingestão de oocistos do solo, Água, areia, alimentos contaminados e onde os gatos defecam, em torno das casas E jardins; 2 - ingestão de carne crua ou mal cozida, contendo cistos teciduais, Especialmente de porco e carneiró; 3 - infecção transplacentária, ocorrendo em 40% dos fetos, de mães que adquiriram a infecção durante a gravidez.

Fisiopatologia do T. Gondii Hospedeiros Intermediários: essa série de eventos caracteriza o chamado ciclo Extra-intestinal ou sistêmico. • Após a ingestão, via oral, as paredes externas Dos cistos ou dos oocistos, são rompidas por degradação enzimática e as formas Infectantes (bradizoítos) são liberadas no lúmen intestinal. • Eles rapidamente Invadem e se multiplicam dentro das células circundantes, onde se tornam Taquizoítos. • A seguir a disseminação dos taquizoítos do T. Gondii ocorre pelo Rompimento das células infectadas, seguida da invasão de células vizinhas. Hospedeiros Definitivos: classe felidae. Além dos ciclo anterior, ocorre também o ciclo “sexual” no intestino, caracteriza o ciclo Entero-Epitelial • Após o gato Ingerir tecidos contendo cistos, as paredes desses cistos são dissolvidos pelos “sucos digestivos” no estômago e intestino delgado. • O Bradizoítos liberados Penetram nas células epiteliais do intestino delgado e iniciam uma série de Gerações sexuadas, geneticamente determinadas. Os oocistos não estão Esporulados quando passados nas “fezes” e portanto não são infectantes. • Após A exposição ao “ar”, aí então eles (oocistos) “esporulam”. • Passando a conter Dois esporocistos, cada um com quatro esporozoítos. • A esporulação demora em Média 3 dias após a excreção, dependendo de condições ambientais.

Tipos de Toxoplasmose • Toxoplasmose febril aguda • Linfadenite toxoplásmica • Toxoplasmose ocular • Toxoplasmose neonatal • Toxoplasmose no paciente imunodeprimido • Toxoplasmose e gravidez.

Aspectos Clínicos Humana: • A Toxoplasmose é Responsável por determinar quadros variados, desde Infecção assintomática a Manifestações sistêmicas extremamente graves. Animal: • Na Toxoplasmose animal O aborto e a pneumonia são os sintomas mais freqüentes.

Sintomatologia Clínica • Gato: aborto, moléstia neonatal, Febre, anorexia, perda de peso, pneumonia e distúrbios neurológicos (SNC). • Cão: sintomas semelhantes com os da cinomose. São observados transtornos Gástricos, cerebrais e pneumônicos; os cães jovens (entre 2 meses e 2 anos) são Mais susceptíveis. • Suínos: leitões podem apresentar simples eczema de Pelé, Vertigens, debilidade, tremores musculares, dispnéias, tumefação testicular, Febre alta, pneumonia, enterites e nefrites. Bovinos: febre, taquipnéia, Dispnéia, tosse, inapetência ou decúbito permanente. • Coelhos: apatia, Deixam-se capturar facilmente; • Caprinos: pirexia, hipertrofia dos linfonodos, Anemia, enterite e encefalite. A forma subclínica é acompanhada de aborto, em Alguns casos podem ocorrer mortalidade neo-natal, natimorto, reabsorção Embrionária e nascimento de fetos mumificados.

Diagnóstico Laboratorial • Diagnóstico Sorológico (IgM e IgG): - Imunofluorescência indireta IgM - fase agudaü IgG - fase crônicaü Ensaio Imunoenzimático (ELISA): utilizando antígenos construídos por biologia Molecular, detecta a fase aguda (IgM) e a fase crônica (IgG). • Pesquisa do Agente: Método de Isolamento do Parasita - Detecção de taquizoíto (esfregaço e Biópsia); - Detecção de oocistos nas fezes. • COBAIAS O Isolamento do Toxoplasma da placenta, dos tecidos fetais e dos fluídos orgânicos através da Inoculação em camundongos também é utilizado como meio de diagnóstico. Lesões Bastante variáveis:  Necrose – gânglios Linfáticos, fígado, baço,ü miocárdio, cérebro, Ocular e pulmonar.  Felinos – úlceras e Granulomas podem ser vistos noü estômago e intestino Delgado.

Diagnóstico Diferencial • Felinos: Felv (vírus da leucemia Felina);ü FIV (vírus da imunodeficiência felina)ü • Cães: Cinomose;ü Neospora caninumü • Humanos: Citomegalovírusü Malformações Congênitasü Neurocisticercoseü Doenças febrisü

Tratamento Eleição: • Sulfadiazina • Pirimetamina Drogas menos Ativas: • Clindamicina • Espiramicina Drogas em teste: • Azitromicina • Claritromicina • Dapsona • Rifabutina • Trovafloxacin • Atovaquone

Medidas de Controle • Evitar o consumo de produtos Animais crus ou mal cozidos (caprinos e suínos); • Lavar as mãos após manipular Carne crua ou terra contaminada; • Impedir acesso de gatos em locais que Armazenam ração; • Impedir que crianças brinquem em caixas de areia; • Grávidas No pré-natal devem fazer o exame pára detecção da toxoplasmose; As gestantes Devem lavar as mãos e utilizar luvas ao manusear terra e jardins pára evitar a Infecção; • Limpar com álcool ou desinfetante o local onde o gato defeca; • Alimentar os gatos e cães domésticos com ração própria, alimentos enlatados ou Cozidos; não se deve oferecer carne crua; • Vetores, como moscas e baratas, Devem ser eliminados, pois transportam o agente do T.Gondii.

Saúde Pública • Zoonose de alta ocorrência. Facilidade de contaminação De produtos e subprodutos de origem animal utilizados pára consumo humano. • A Presença do parasita nos alimentos de origem animal, carne e leite, é de Especial interesse em saúde pública, tendo-se em conta que estes alimentos, Quando inadequadamente preparados, constituem-se em uma das principais fontes De infecção pára o homem. • É fato de grande preocupação a transmissão da Toxoplasmose através do leite “in natura” ou mal esterilizado (principalmente Caprina).

Entradas relacionadas: