As relações entre individuo e sociedade

Classificado em Psicologia e Sociologia

Escrito em em português com um tamanho de 7,28 KB.

 

Gráficos de escolha

Estrela: Individuo com o maior números de escolhas

Subestrela: Segundo indivíduo com o maior números de escolhas

Escolha mútua: Indivíduos que escolhem e são reciprocamente escolhidos

Periféricos: Indivíduo que escolhe mas não é escolhido

Isolado: Não escolhe mas é escolhido

Solitário: Não escolhem e não são escolhidos

Eminência parda: Indivíduo que não está no poder do grupo entretanto é a única e reciproca escolha do estrela

Gráficos de rejeição

Mais rejeitados: Indivíduos com o maior número de rejeições

Número de rejeições: Quantas rejeições foram feitas

Número de rejeitados: Quantos indivíduos foram rejeitados

Falha de percepção: Indivíduo que escolhe mas é rejeitado por aquele quem escolheu


Análise

Periféricos: É prejudicial ao grupo quando maior que 1/3 do número de integrantes do grupo

Isolados e solitários: são problemas pára eles mesmos e podem ser prejudiciais ao grupo quando maior que 1/3 do número de integrantes do grupo

Escolhas mútuas: São prejudiciais ao grupo quando maior que 1/3 do número de integrantes do grupo pois significa cristalização de escolhas e formação de duplas

O mais rejeitado não é um problema desde que não seja o estela nem subestrela

Número de rejeições: É um problema quando ultrapassa o número total de integrantes do grupo

Número de rejeitados: É um problema quando maior que a metade do número de integrantes do grupo pois quanto maior o número de rejeitados, maior a quantidade de pessoas consideradas incapazes dentro do grupo

Falha de percepção: Não é um problema na área de liderança. Nas demais áreas é um problema quando maior que 1/3 do número de integrantes. Falha de percepção entre estrela e subestrela é um problema pára o grupo pois indica divisão de poder

Área afetiva: Analisa e indica o grau de coesão do grupo

Área funcional: Analisa e indica o grau de cooperação do grupo

Área de liderança: Analisa e indica o grau a capacidade de tomar decisão por consenso do grupo.


Charles Fourier - O ser humano é naturalmente um ser grupal e social. Tinha a ideia de uma civilização societário em que os indivíduos viveriam em prol de suas paixões, sendo induzidos por elas a se associar a outros, porque essa ação poderia satisfazer algumas tendências fundamentais e a trabalhar de maneira atraente pára si próprio, pois cada indivíduo desempenharia o trabalho correspondente as suas tendências grupais. Taís paixões humanas deveriam permitir o cumprimento natural de todas as tarefas, tendo por objetivo satisfazer uma tendência. Ainda de acordo com Fourier, havia a existência de doze tendências sendo cinco delas individuais relacionadas aós prazeres dos sentidos e as outras sete seriam relacionadas as tendências sociais. Quatro delas relacionadas ao desejo de estabelecer láços afetivos, sujeitasas leis da atração e seriam classificados de acordo com o seu grau de importância. As mais importantes estariam relacionadas a amizade (origem de grupos informais)  e a ambição (origem dos grupos corporativos) e as menos importantes estariam relacionadas ao amor (origem dos relacionamentos) e paternidade (origemde grupos familiares). As últimas três tendências seriam os motores de funcionamento dos grupos, espírito de partido e necessidade de variação de companheiros, trabalho e entusiasmo.


Durkheim:Ideia de que o grupo social vai além da soma de seus membros, sendo assim, refere-se a totalização de um processo. Consciência coletiva: Um grupo tem percepções, sentimentos e vontades próprias. Funções psicológicas dentro de um grupo: Integração: Um indivíduo isolado é mais frágil que um indivíduo integrado em algum tipo de comunidade seja ela: familiar, profissional, religiosa e por isso está mais sujeito ao suicídio. Regulação das relações interindividuais: Quando liberadas a si mesmas, naufragam em desconfiança e hostilidade. Ex: O homem não é bom, a sociedade ajusta seu comportamento e relações. Idolátrica: Um grupo unido e eficiente tende a adorar, a divinizar a força que sente em si, e que trata-se apenas da coesão sujeita a seu código de valores.

Sartre: Perspectiva Dialética / Dialética é o caminho do pensamento humano em seu enfrentamento com a natureza e a sociedade pára transformá-los. Isso acontece por meio de contradições, negações construtivas e sínteses parciais que nunca são acabadas. O grupo não é algo estátiço, mas dinâmico que se movimenta a partir das relações dialéticas de interioridade entre as partes. O grupo nasce de uma aglomeração e corré o risco de voltar a ser uma. Sendo assim, aglomeração  é uma massa passiva e resignada que sofré uma justaposição de solidões que tem necessidades, interesses e objetivos em comum (Ex. Usuários de transporte público). Pára que um grupo seja formado os membros precisam ter interesses em comum fortes pára unir as pessoas e reconhecer sua interdependência, estabelecer comunicações diretas uns com os outros. Assim, o grupo vai significar: liberdade no que se diz respeito a ruptura da impossibilidade de atuar e modificar a situação existente. Igualdade no sentido de que todos são equivalente a todos. Fraternidade: Todos precisam de todos pára que o grupo exista. O grupo tem essência na dialética e pára que seja mantido é necessário que os membros jurem fraternidade, estabelecimento de regras e procedimentos de trabalho e decisão de normas comuns a todos.

Entradas relacionadas: