Geologia engenharia

Classificado em Geologia

Escrito em em português com um tamanho de 192,55 KB.

 

1. EXPLIQUE A GEOMORFOLOGIA COMO CIÊNCIA E SUAS APLIACAÇÕES PARA A ENGENHARIA AMBIENTAL E URBANA.
Geomorfologia é a ciência que estuda as formas de relevo, considerando sua origem, estrutura, natureza das suas rochas, o clima da região e as diferentes forças endógenas e exógenas, que são fatores importantes por serem os construtores e os destruidores do relevo terrestre.
De um modo geral a geomorfologia está divida em duas: a continental, do modelado terrestre; e a submarina, do modelado submarino.
Além disso, a geomorfologia é um ramo da geografia física e se divide em:
1. Geomorfologia descritiva: estuda as formas topográficas e suas características.
2. Geomorfologia evolutiva: estudas as diversas etapas pelas quais passa um determinado relevo terrestre até a sua fisionomia atual.
2. DISCORRA SOBRE AS DIFERENÇAS SOBRE FORÇAS ENDÓGENAS E EXÓGENAS.
Força endógena é o fenômeno ou processo geológico que se realiza no interior da Terra.
Os agentes geológicos endógenos referem-se à interação de forças internas da Terra, tais como: aquecimento provocado por radioatividade; variações de pressão e temperatura provocadas por reações e recristalizações minerais para fases minerais mais ou menos densas com emissão ou absorção de calor o que leva a desequilíbrios densitométricos e poderosas movimentações de massas rochosas, magmas e fluidos no interior da terra;
Alguns exemplos de fenômenos ou processos endógenos:
- formação de magma e sua intrusão formando rochas plutônicas e hipabissais;
- tectonismo, dobramentos, falhamentos e metamorfismo em áreas orogênicas;
- subducção;
- geração de abalos sísmicos (=terremotos);
- soerguimentos e abatimentos da crosta;
Força exógena é o fenômeno ou processo geológico que se realiza na ou junto à superfície terrestre.
Os agentes geológicos exógenos referem-se à interação de forças da natureza, envolvendo a atmosfera, hidrosfera e a superfície terrestre com forte atuação da energia emitida pelo sol e pela força da gravidade.
Alguns exemplos de fenômenos ou processos exógenos:
- avalanches:
- intemperismo das rochas;
- erosão e transporte de sedimentos;
- denudação de cadeia de montanhas;
- ablação;
- corrosão.
3. EXPLIQUE E COMPARE OS MOVIMENTOS EPIROGÊNICOS E OS MOVIMENTOS OROGÊNICOS.
Epirogenese é a movimentação verticalizada, positiva ou negativa, da crosta terrestre, geralmente lenta e por ampla região, em decorrência de reações isostáticas <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/isostasia.htm> atuantes em áreas cratônicas <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/craton.htm> e, também, em áreas oceânicas, menos perceptíveis.
Enquanto na orogênese a área é localizada, geralmente linerarizada e resultante de forte tectônica localizada e de esforços tectônicos horizontalizados e resultantes de confronto de placas litosféricas, a epirogênese desenvolve-se por ampla área com soerguimento ou subsidência da crosta como resultado de ajustes isostáticos devido a variações densitométricas internas da Terra (região de manto mais quente aquecendo a litosfera acima que se eleva, por exemplo), por erosão rápida de área extensa, por degelo de geleiras continentais (sem o peso do gelo acima a crosta eleva-se para compensar o peso do gelo subtraído) ou por outras causas.
A epirogênese positiva redunda no soerguimento lento da crosta com a formação de platôs ou planaltos elevados que são, assim, submetidos a uma intensificação gradual da erosão e à regressão marinha (rebaixamento relativo do nível do mar) se afetando a região costeira. Já a epirogênese negativa redunda na subsidência <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/subsidencia.htm> de amplas áreas que tendem a apresentar menos erosão e a acolher mais sedimentos com o processo e até a desenvolver lagos e mares interiores que podem ser de grande extensão com transgressão progressiva dos estratos sedimentares junto com elevação relativa do nível oceânico se afetando região oceânica costeira.
A orogênese vem do Grego: oros=montanha; genus=geração, e significa conjunto de processos geológicos que resultam na formação de uma cadeia de montanhas (orógeno <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/orogeno.htm>) e relacionado com a tectônica compressional de placas tectônicas <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/placa_tectonica.htm>.
4. QUAIS IMPORTANTES FATORES GOVERNAM A LEIS GEOMORFOLÓGICAS. DESCREVA CADA UM DELES.
São fatores que governam as leis geomorfológicas:
1.Fatores tectônicos: que geram a forma do relevo
2.Fatores de erosão: que são dados pelos acidentes e suas causas, como por exemplo a presença da água em um solo saturado.
3.Fatores litológicos: dependem do processo que de litificação, ou seja, o processo de transformação de solo não consolidado, principalmente sedimentar <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/sedimento.htm>, em rocha maciça, podendo envolver vários processos como desidratação <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/desidratacao.htm>, compactação <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/compactacao.htm>, cimentação <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/cementacao.htm>, recristalizações <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/recristalizacao.htm>, lateritização <http://vsites.unb.br/ig/glossario/verbete/laterita.htm> (ver figura).
Imagen

5. DESCREVA FORNECENDO EXEMPLOS SOBRE:

- RELEVO TECTÔNICO:
Deformações na crosta causadas pelos por movimentos tectônicos. Formação de montanhas, planícies, planaltos, exemplo: Serra do Mar e a vista de mar de morros a caminho do litoral de São Paulo ou mar de morros em Minas como visto na foto a baixo
Imagen
- RELEVO DE ACUMULAÇÃO:
Modificações na crosta causadas pela adição de material
O trabalho de movimentação eólica carrega a areia até depositá-la nas praias e nos desertos, onde pode formar grandes acumulações móveis conhecidas como dunas. São enormes montes de areia acumulada pelo vento, como na foto Deserto do Saara no Egito.
Imagen <http://www.google.com.br/imgres?imgurl=http://elle.abril.com.br/imagem/estilo-de-vida/viagem/255-viagem-deserto-do-saara.jpg&imgrefurl=http://elle.abril.com.br/estilo-de-vida/viagem/luxo-deserto-490053.shtml?page=page6&usg=__L7-tDrDtbvaTtU9y9oc3moC1kIE=&h=300&w=470&sz=22&hl=pt-br&start=0&zoom=1&tbnid=zr3IBCQQB14k9M:&tbnh=133&tbnw=190&prev=/images?q=deserto+do+saara&um=1&hl=pt-br&rls=com.microsoft:pt-br:IE-SearchBox&rlz=1I7RNSN_pt-BR&biw=1345&bih=583&tbs=isch:1&um=1&itbs=1&iact=hc&vpx=662&vpy=118&dur=2169&hovh=179&hovw=281&tx=263&ty=168&ei=Jpf5TIGiH5KesQPL8on5Bg&oei=Jpf5TIGiH5KesQPL8on5Bg&esq=1&page=1&ndsp=18&ved=1t:429,r:3,s:0>Imagen
- RELEVO DE EROSÃO:
Modificações na crosta causadas pela retirada de material. Um exemplo são as falésias, que são escarpas, geralmente constituída de camadas sedimentares ou vulcano-sedimentares, acompanhando a linha costeira. É um tipo de erosão marinha da base da escarpa por ondas e correntes marinhas provoca desmoronamento das paredes da escarpa que tende a se apresentar verticalizada. Foto falésia de arenitos da Califórnia nos Estados Unidos <http://www.earthscienceworld.org/imagebank/search/lightbox2.html?ID=h326p2>.
Imagen
6. JUSTIFIQUE A SEGUINTE FRASE SOB O PONTO DE VISTA GEOMORFOLÓGICO: O MEIO CONTINENTAL É CARACTERIZADO POR PROCESSOS EROSIVOS.
A todo tempo há ação intempérica do vento, das chuvas, da temperatura, do gelo e da água sobre o relevo. Essas ações intempéricas físicas, químicas ou biológicas, levam principalmente ao fator erosão do solo.
7. DISCORRA SOBRE A APLICABILIDADE DA GEOMORFOLOGIA AMBIENTAL.
A geomorfologia ambiental aplica-se ao planejamento ambiental e ao manejo de áreas. Inclui-se o levantamento e monitoramento de processos geomorfológicos, caracterização das formas de relevo, levantamento de recursos naturais, análise do terreno, determinação de propriedades físicas e químicas dos materiais, análises laboratoriais e mapeamento de riscos.
Nos últimos anos tem-se feito uso da geomorfologia ambiental principalmente em obras realizadas em áreas onde o meio ambiente ainda está preservado com o intuito de evitar catástrofes e haver um planejamento e manejo ambiental.
8. ESPECIFIQUE OS ITENS REFERENTES AOS ACIDENTES (FORMAÇÕES) TOPOGRÁFICAS ABAIXO ESPECIFICADAS:
- TALVEGUE;
É formado pelo seguimento dos pontos mais baixos de um vale, por ele se escoa todas as águas reunidas no vale.
- VERTENTE;
Toda superfície compreendida entre a linha de vértice e a base de uma encosta (talude). Vertente esquerda e direita de um vale: as que ficam à mão esquerda e direita respectivamente do observador colocado com a frente para a foz do curso dágua.
- CONTRAFORTE;
São saliências do terreno (gleba) que se destacam da serra principal formando um vale secundário ou lateral (são divisores de água secundários).
- LINHA DE DORSO;
É a linha de intersecção de dois flancos de um contraforte ou espigão. É a linha segundo a qual as águas se dividem para uma ou outra vertente, também denominada linha divisora de águas (linha de cumeada).
- GARGANTA;
Ponto onde a linha de um divisor de águas sofre maior depressão. Em geral, é um ponto de melhor acesso entre um vale e outro.
9. FAÇA UM CROQUI DOS POSSÍVEIS ARRANJOS ESPACIAIS DOS PERFIS TRANVERSAIS E LONGITUDINAIS DAS VERTENTES, EXPLICANDO CADA UM DELES.
O arranjo espacial dos perfis TRANSVERSAIS E LONGITUDINAIS das vertentes (que podem ser avaliados em cartas topográficas em escala 1:10,000) permite definir 4 tipos básicos de vertentes que se caracterizam pela ação de diferentes processos erosivos: I e II encostas coletoras de águas, III e IV encostas distribuidoras de água.
Imagen
10. COMENTE SOBRE OS ATRIBUTOS MORFOMÉTRICOS ESPECIFICADOS ABAIXO:
- ALTITUDE;
Altura do relevo em relação ao nível do mar
- AMPLITUDE;
Altura da feição do relevo (diferença entre cota de topo e cota de fundo de vale)
- COMPRIMENTO DE RAMPA;
Distancia entre a linha do divisor de águas e a linha do talvegue (canal), traçada perpendicular à forma.
- DECLIVIDADE/INCLINAÇÃO (GRADIENTE)
Relação entre a amplitude e o comprimento da rampa (expressa em grau ou porcentagem)
11. COMENTE SOBRE AS CONDICIONANTES LITOESTRUTURAIS NA FORMAÇÃO DO RELEVO.
Os condicionantes litoestruturais podem estar relacionados a influencia das rochas tendo por consequência a resistência diferencial entre os processos de alteração e erosão, a estabilidade de materiais primários e estruturas acamamento, foliação, sistemas de juntas, falhas e dobras.
12. CITE EXEMPLOS DE OCORRÊNCIA DE RELEVOS TABULARES, ESCARPA/FALHA E CUESTIFORME.
Relevo tabulares- o relevo tabuliforme, caracterizado por uma sequencia de camadas sedimentares horizontais ou sub-horizontais, associadas ou não a derrames basálticos intercalados, embora elaborado pelos mecanismos morfoclimáticos, reflete diretamente a participação da estrutura. Trata-se de formas estruturais, caracterizadas por sequencias, sedimentares horizontalizadas, cuja disposição tabular pode diferir daquelas resultantes de processo de pediplanação em estruturas não horizontais. Ressalta-se que a pediplanação também se dá em estruturas horizontais, com estreita correspondência entre a superfície de erosão e o comprimento dos estratos.
Exemplos de relevo tabular: Complexo Goiano e micaxistos do Grupo Araxá.
Relevo de Escarpa-Porção de relevo alcantilado que, muitas vezes, se estende, retilínea ou sinuosamente, por grande extensão na forma de despenhadeiros ou penhascos verticalizados.
A formação de escarpas, ou escarpamento, pode ocorrer por vários processos, tais como:

- erosão diferencial entre rochas com erodibilidade diversa;
- regressão lateral de escarpamento como em mesas e cuestas;
- deslocamento entre blocos de falhas geológicas de gravidade atingindo a superfície do terreno e originando escarpa(s) de falha expondo a superfície do plano de falha como escarpa; observar que o relevo mais elevado corresponde ao bloco elevado ou muro da falha;
- retomada da erosão ao longo de uma região de falha com a ocorrência de maior desbaste em um dos blocos com rochas mais suscetíveis à erosão, originando uma escarpa de linha de falha; observar que neste tipo o lado mais elevado não é, necessariamente, o muro da falha e que o plano de falha foi exposto por erosão.
Exemplo: Serra do Mar,Serra da Mantiqueira.
Relevo Custioforme: os relevos tipo cuestas também se encontram associados a estruturas sedimentares, com ou sem intercalações de estratos basálticos, a exemplo dos modelos clássicos na Depressão Periférica Paulista. Diferenciam-se dos relevos tabuliformes por corresponderem a seções caracterizadas por camadas litoestratigráficas inclinadas, razão pela qual comumente aparecem nas bordas das bacias sedimentares, mergulhando em direção ao seu centro.
13. DISCORRA SOBRE AS COBERTURAS DETRÍTICAS BRASILEIRAS.
AS coberturas detriticas do Brasil, tiveram origem nos seguintes processos eluvial, fluvial e pluvial gravitacional .Os fluvios têm por característica acumulação de detritos(aluviões) nas regiões dos vales, os eluvios correspondem a capas de detritos, não transportadas durante o processo de pedogenese do substrato rochoso e os processos pluviais gravitacionais correspondem a formação de depósitos do tipo rampa, colúvio e corpo de tálus.
14. DEFINA, EXPLICANDO:
- PLANÍCIE; - DEPRESSÃO; - PLANALTO.
Planícies são áreas planas que correspondem a bacias sedimentares, com sedimentação fluvial, lacustre e ou marinhas recentes, por exemplo, as áreas de inundação, baixos terraços, pântanos e planícies costeiras.
Depressões são grandes unidades morfo-esculturais, deprimidas em relação aos compartimentos vizinhos (blocos tectônicos rebaixados). Essas áreas correspondem às superfícies erosivas que nivelam tanto rochas sedimentares como embasamento cristalino.
Planaltos são compartimentos de relevo elevados, em relação aos relevos vizinhos, destacando-se rochas mais resistentes ou blocos soerguidos.
15. DISCORRA SOBRE OS MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO DIRETOS E SUAS APLICABILIDADES.
Os métodos diretos permitem a observação direta do subsolo através de amostras coletadas ao longo de uma perfuração ou medição direta de propriedades in situ. Exemplo escavações, sondagens a trado, penetração estática, rotatividade mecânica e ensaios de campo.
16. DISCORRA SOBRE OS MÉTODOS DE INVESTIGAÇÃO INDIRETOS E SUAS APLICABILIDADES. Os métodos de investigação indiretos ou geofísicos requerem a interpretação de certas medidas físicas. As propriedades geotécnicas dos solos são estimadas indiretamente pela observação à distância ou pela medida de outras grandezas do solo métodos tais como, sensoriamento remoto e ensaios geofísicos.
O sensoriamento Remoto são fotos aéreas e imagens orbitais que exigem técnicas de fotointerpretação. Pois é a técnica de obtenção de informações de materiais, naturais ou não, ou de fenômenos na superfície da Terra sem contato físico com os mesmos. Essas informações podem ser coletadas por aviões ou satélites. Pode-se determinar:
tonalidade e textura das imagens - tipos litológicos e solos;
formas de relevo - tipos litológicos, características estruturais,susceptibilidade a erosão e escorregamentos, etc...;
rede de drenagem - condicionantes estruturais e propriedades das formações geológicas;
tipo de vegetação - unidades de solos e estruturas geológicas.
Os Métodos geofísicos permitem determinar a distribuição em profundidade de parâmetros físicos dos terrenos: velocidade de propagação de ondas acústicas, resistividade elétrica, contrastes de densidade e campo magnético da Terra, pois estes guardam estreitas relações com algumas características geológico-geotécnicas do subsolo.
17. CITE EXEMPLOS E COMENTE SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE OBRAS (INTERVENÇÕES ANTRÓPICAS) CONDICONADAS PELA GEOLOGIA LOCAL.
O território sofreu vários processos geológicos e por isso possui grande variedade de rochas. A geologia determinou por vários anos o desenvolvimento e a ocupação do país. Os locais de geologia menos complexa foram utilizados primeiro.
O crescimento tanto populacional, quanto econômico, exige a utilização de novas áreas, muitas desta de difícil implantação de empreendimentos.
A implantação de obras exige a solução de problemas específicos de cada obra em relação à geologia, conforme:
- O tipo de obra que precisa ser implantado;
- As características geotécnicas do local do empreendimento.
Os exemplos que podem ser citados são:
- Devido ás Bacias Sedimentares grandes potenciais hidrelétricos (por força do próprio comportamento da rede hidrográfica) não podem ser explorados. Pois teria que haver a implantação de barragens nas Rochas Sedimentares (pouca estabilidade).
- A implantação de obras viárias que atravessam diversas unidades litológicas com diferentes comportamentos geotécnicos. Para que haja uma implantação deste porte é necessário escavação, estabilidade de taludes, materiais de empréstimo, qualidade dos maciços rochosos, e mais. Por isso a necessidade do conhecimento geológico do local.
18. QUAIS SÃO AS PROVÍNCIAS GEOTECTÔNICAS BRASILEIRAS?
As 2 principais Províncias Geotectônicas são as de embasamento cristalino ou Pré-Cambriano e as Bacias Sedimentares, que ocupam mais de 50% do território brasileiro. O embasamento Cristalino é composto pelos Complexos de alto grau de Cinturões Granulíticos, Escudos Gnáissicos-Granitóides, seqüências de Xistos Verdes e por faixas vulcano-sedimentares.
19. DISCORRA SOBRE A EVOLUÇÃO TECTÔNICA DA PLATAFORMA BRASILEIRA.
Os processos tectônicos que atuaram em tempos (escalas) diferentes ocasionaram a distribuição geográfica dos diferentes tipos de rochas no território brasileiro.
O início da Evolução Tectônica foi marcada pela consolidação de antigas massas ou núcleos ou placas crustais, isto por aglutinação devido a colisões. Estes antigos núcleos aglutinados limitam-se por zonas de fraqueza crustal (geossuturas ou suturas). A desagregação parcial do megacontinente é responsável pelas aglutinações e, por conseguinte, pelos zonas de fraqueza.
Até os dias atuais perduram os processos colisionais e desagregacionais.
Os resultados da Evolução Tectônica foram as formações das Rochas Pré-Cambrianas do embasamento cristalino, que serviram de substrato para a formação (por acumulaçãoe deposição) das Rochas Fanerozóicas nas Bacias Sedimentares.
20. DESCREVA A DISTRIBUIÇÃO LITOLÓGICA DO PRÉ-CAMBRIANO BRASILEIRO.
A distribuição litológica do Período Pré-Cambriano é dividido em 4 unidades geotectônicas:
Os complexo de alto grau, compostos pelos Cinturões Granulíticos, que são trechos da crosta inferior SIMA;
Os escudos Gnaissicos-Granitóides, que correspondem a blocos crustais mais antigos;
Xistos Verdes, que são as primeiras bacias sedimentares da história geológica da Terra;
E Faixas Vulcano-Sedimentares dobradas e metamorfizadas,bacias de preenchimento de zonas de fraturas e que sofreram orogênese.
Resumidamente, pode-se dizer que a Plataforma Pré-Cambriana é constituíde por antigos blocos crustais (Eon Arqueano), que são os escudos Gnaissicos-Granitóides aglutinados e limitados por suturas (zonas de fraqueza). As movimentações contínuas, ao longo dessas zonas de fraqueza e sismicidade, deram origem ás unidades Geotectônicas de alto grau (Cinturões Granulíticos). As seqüências de Xistos Verdes e as Faixas Vulcano-Sedimentares dobradas e metamorfizadas,que circundam o escudo, acompanhas as suturas mais antigas.
21. DISCORRA SOBRE A SEQUÊNCIA DE XISTOS VERDES E SUA IMPORTÂNCIA ECONÔMICA.
As sequências de xistos verdes representam as primeiras bacias sedimentares da história geológica da Terra. Ocupam pequenas áreas próximas as suturas e espalham-se por todo o território nacional. São rochas bandadas e xistosas, como filitos, talco-xistos, clorita-xistos, quartzitos, etc. Possuem um enorme potencial em recursos minerais: ferro, manganês, amianto, níquel, cromo, cobre,ouro, entre outros, daí sua enorme importância econômica.
22. QUAL É A IMPORTÂNCIA DAS BACIAS SEDIMENTARES BRASILEIRAS? FORNEÇA EXEMPLOS PRÁTICOS.
As rochas sedimentares são derivadas de restos e detritos de outras rochas pré-existentes. O intemperismo faz com que as rochas Magmáticas, Metamórficas ou Sedimentares estejam constantemente sendo alteradas. O material resultante é transportado pela água, vento ou gelo e finalmente depositado como um sedimento. Deve haver então, uma compactação ou cimentação do material para ele se transformar em uma rocha sedimentar. O Brasil possui 6.430.000 km2 de bacias sedimentares, dos quais 4.880.000 km2 em terra e 1.550.000 km2 em plataforma continental. As rochas sedimentares possuem grande importância econômica pela sua imensa riqueza mineral, principalmente carvão, gás natural e petróleo.
23. DISCORRA SOBRE A BACIA DO PARANÁ (LITOLOGIA, IMPORTÂNCIA ECONÔMICA, GEOMORFOLOGIA, LOCALIZAÇÃO, ETC).
A Bacia do Paraná abrange uma superfície total de 1.600.000km2, dos quais pouco mais de 60% situam-se em território brasileiro( constitui a maior bacia conhecida). Ocupa 40.000km2 do território argentino,100.000km2 do uruguaio e outros tantos do paraguaio. No Brasil a maior parte dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, além de boa parte do Mato Grosso do Sul, e pequena parte do Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais, encontram-se em áreas de domínio da bacia sedimentar do paraná.
O potencial hidroenergético da bacia do paraná, aliado ao fato da mesma abarcar as regiões mais desenvolvidas do brasil, fez com que grandes aproveitamentos hidrelétricos fossem pioneiramente implantados em seus domínios, tendo sido favorecidos, ainda, pela presença de rochas basálticas, ás quais associam-se praticamente a todo sistema de drenagem da bacia.
24. QUAL A FORMAÇÃO LITOLÓGICA PREDOMINANTE DAS BACIAS FANEROZÓICAS BRASILEIRAS?
As bacias fanerozóicas brasileiras são formadas predominantemente por arenitos e folhelhos.
25. DISCORRA SOBRE A COLUNA GEOLÓGICA DO ESTADO DE SÃO PAULO.
As Serras do Mar, Paranapiacaba e Mantiqueira são formadas por rochas mais antigas, ígneas e metamórficas de idade pré-cambriana. Algumas dessas rochas possuem grande importância econômica em determinadas regiões (jazidas de ouro, prata, etc). No sul do estado pode se observar sedimentos arenosos amarelo acinzentados, do período devoniano-paleozóico, que formam furnas. Acima dessas rochas devonianas existem camadas glaciais e fluvioglaciais arenosas, siltosas e argilosas do período carbonífero-paleozóico.
Até a época atual, os rios foram se aprofundando e abandonando seus traços onde aparecem depósitos de espessura relativamente fina. Algumas bacias sedimentares modernas (do terciário até hoje) são relativamente espessas e associadas a falhamentos. Ex.:bacia de taubaté e sãopaulo. (com depósitos de granulações grossa a fina).
Pode-se dizer que a bacia sedimentar do paraná é de idade muito antiga(+/-300 milhões de anos), que serviu para deposição até nossos dias, de todos os diferentes tipos de rochas sedimentares já descritas. Obs:além da deposição,houve fases de erosão, que determinaram o aparecimento das discordâncias entre as camadas.

Entradas relacionadas: